terça-feira, 6 de novembro de 2007

'Bóra salvar o mundo!?

Ontem, num ataque de romantismo, a minha namorada pediu-me que a levasse a um sítio caro. Eu disse “Claro, minha querida, tudo o que quiseres”. Entramos no carro e levei-a a uma bomba de gasolina...

Eh pá, aqui entre nós que ninguém nos ouve (porque isto é um blog e só dá mesmo para ler, se bem que era possível fazer um vídeo e aí ouvia-se, mas isso ia dar muito trabalho e não me apetece), a gasolina está estupidamente cara!!

Sei que isto não é novidade nenhuma, sei que o preço dos combustíveis está repetidamente a aumentar há montes de tempo, mas esta é daquelas indignações que passa a semana adormecida e depois abalroa-me violentamente sempre que vou atestar o carro…

Caros(as) amigos(as), o que se passa é o seguinte: nós já colocamos sondas espaciais no esfíncter anal do apóstolo traidor, já exploramos os fundos dos mares com submarinos, os telemóveis desenvolvem-se tão depressa que se tornam desactualizados 0,47 segundos depois de serem comprados, conseguimos observar galáxias a 100 mil anos-luz de distância (nem sei o que isso é, mas deduzo que seja longe cmó cara… ças), inventamos a Internet e o Family Guy… e não conseguimos inventar uma porcaria dum carro que ande, sei lá, a bosta de vaca?!

(Pronto, bosta de vaca é capaz de ser uma má ideia, mas dado o tom de revolta com que construí o parágrafo, achei que a referência aos dejectos dum animal engraçado daria mais ênfase à coisa. Vá, esqueçam a bosta de vaca… a sério).

Continuando, os maiores avanços tecnológicos na história da humanidade têm ocorrido quase sempre motivados por duas grandes razões: guerra e/ou sexo. Isto é, o Homem constrói (1) para destruir alguma coisa e matar montes de gente ou (2) para ver se molha o carapau. Ponto final.

Com isto em mente, as minhas propostas para salvar o mundo do petróleo reduzem-se a duas hipóteses: ou convencemos os americanos que seria divertido invadir o Irão usando apenas tanques e porta-aviões movidos a energia solar; ou lançamos um concurso mundial onde quem inventar um carro movido a bosta de panda ganha como prémio a Scarlett Johansson ou o Brad Pitt, sendo que se o carro for dos 0 aos 100 em menos de 4 segundos, pode ficar com os dois.

PS- A sério, carros movidos a bosta do que quer que seja é sempre um mau conceito… Se quiserem inspiração, vejam isso, que até parece uma ideia bem esgalhada.

4 comentários:

Gab 07/11/2007, 11:51:00  

a cena do motor magnetico tá louca! aquilo é verdade?

Menina do Mar 07/11/2007, 12:36:00  

Eu também voto nos carros a bosta! Não tenho carro (nem carta, mas isso agora também não interessa), MAS, e principalmente agora, gasto dinheiro que se farta na porcaria dos transportes públicos. Que, como é do conhecimento do público em geral, aumenta as tarifas com o aumento do pitroil.

Bosta como combústivel seria brilhante, pelo menos nos Açores, já que como nos educa a publicidade do Terra Nostra, há pelo menos uma vaca por habitante!
Em vez de engordar as vacas pa darem leite, era pra ca..defecarem!

Ahhh, uma última coisa: da próxima leva a tua namorada a outro sítio! Eu até gosto do cheiro de gasolina e tal, mas há quem não vá muito com isso. E bombas de gasolina e romantismo, não têm nada a ver... leva-a à Massimo Dutti, não deixa de ser caro (pelo menos po meu bolso!) e sempre tem aquele toque fofinho..

Sou eu 07/11/2007, 14:54:00  

Concordo em pleno!
Leva a tua namorada a Jantar por ex. ao Pavilhon q é bem mais romântico.

Ticha 13/11/2007, 01:12:00  

Experimenta fazer xixi pa dentro do tanque do combustível pode ser que ande! XDXDXD

  © Blogger template 'Grease' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP