segunda-feira, 20 de março de 2006

Uma fábula moderna

Baduel Franguinho na qualidade de porta-voz dos galináceos e aves em geral, dirigia-se frequentemente à ordem dos veterinários a fim de protestar contra a discriminação que estavam a ser alvo.“Quer-se dizer, os humanos apanham uma “constipaçãozita” e vão logo com urgência para o hospital, nós constipamo-nos e vamos logo com urgência para o matadouro!", dizia ele.
1 - Baduel Franguinho - sempre se chamou assim, mesmo antes de lhe ter sido diagnosticada uma forte gripe -, na qualidade de porta-voz dos galináceos e aves em geral, dirigia-se frequentemente à ordem dos veterinários a fim de protestar contra a discriminação que estavam a ser alvo.
Durante muito tempo tinha sido treinador de guarda-redes: treinou o Ricardo e o próprio Baia, ambos conceituados “frangueiros”, que só não põem ovos porque os calções que usam costumam ser apertados. Como gostava de galinheiros, Baduel também chegou a ser piloto da SATA. Agora, desempregado e doente, ninguém o queria…
Tantos animais no mundo e tinham que ser as aves, as principais vítimas desta terrível doença, elas que nem têm narizes e que têm apenas na boca um dente chamado bico com uns orifícios pequeninos…
“Isto está mal!”, dizia ele a uma vaca. “Quer-se dizer, os humanos apanham uma “constipaçãozita” e vão logo com urgência para o hospital, nós constipamo-nos e vamos logo com urgência para o matadouro! É pá, estamos constipados…né?! Metam-nos mebocaína na ração!” E continuava, “o que eles estão a fazer é perseguição, é galofobia… é galinicismo, um racismo contra as galinhas que já vem de há muito tempo atrás.”
A vaca nada disse, pois não queria lembrar-se da época em que toda a gente a considerava louca, ao ponto de ficarem deprimidas, todas malhadas e a tremer só com o medo de também terem que ser abatidas.

2 - Baduel Franguinho tinha razões para este descontentamento. Reparem nos seus mais profundos sentimentos reprimidos: “os humanos, inclusive, invadem a nossa privacidade… abrem o nosso armazém quando bem lhes apetece e depois metem o dedo no rabo das minhas galinhas para ver se têm ovos. Isso é assédio, é uma grande violação …do segredo de justiça. Para nós, isso é pior do que fazer caricaturas do nosso Deus Galomé! E a nós, ninguém nos vê na rua a queimar bandeiras!”
Para já não falar na humilhação que sentia quando, frequentemente, via as suas galinhas na Xurrex com as pernas abertas, todas escancaradas… para outros as comerem! “Isso não se faz, pá!”
Baduel não conhecia o “gajo” de que tanto falavam… o H5N1! Sobre a gripe, apenas tinha a dizer que os aviários não eram propriamente hotéis de 5 estrelas, havia sempre uma aragem e, já se sabe, o “galinhoal” constipava-se!

3 - Junto do veterinário sempre ia dizendo: “Andam para aí outros animais…hipopótamos, girafas … disfarçados com umas gabardinas e com doenças super-contagiosas e vocês não ligam”. Quando o veterinário lhe disse que nunca viu assim nenhum desses animais, Baduel respondeu “Pois é! Lá está! Estão bem disfarçados!”
Estava triste e revoltado. Sempre havia tido cuidado no contacto com as outras aves, até o sexo era seguro: “tenho sempre as redes de protecção à volta do aviário”, fazia questão de ressalvar. Só tinha receio de um encontro casual que havia tido com uma avestruz vinda de parte incerta. “Aquela avestruz tinha cá umas pernas!”, lembrava ele. “Veio para cá de férias, trouxe o namorado, o ganso dela…eu apaixonei-me, deu-me os calores, afoguei o ganso dela e depois afoguei o meu”.
Mas o que ele vinha mesmo dizer é que a alteração das penas não pode ser entendida como uma das formas de manifestação da doença: “Sr. Veterinário, os suspeitos da Casa Pia, primeiro estavam todos presos, agora já não, as suas penas estão sempre a ser alteradas e eles não estão infectados…ou será que estão?!” Era um argumento forte!

P.S. – Pedimos desculpa aos nossos leitores pelo conteúdo “fabuloso”, um tanto naive, deste artigo, mas neste momento estamos muito ocupados a preparar uma OPA qualquer…
In Azórica nº 44, Jornal dos açores, Edição de 18 de março de 2006

2 comentários:

Arroto profundo 28/03/2006, 09:29:00  

Vão lá preparar a OPA

Acho que fazem bem em preparar a OPA, o Santo Cristo vão ficar feliz em saber que vocês vão de opa na procissão.

Caiê 29/03/2006, 04:05:00  

Comoveu-me a parte da violação das galinhas,ahn? Chuif, chuif. É de admirar como é que as Protectoras dos Animais, S., nunca levaram esses portentosos argumentos à mesa! (a uma mesa onde não se sirva frango, naturalmente...)

  © Blogger template 'Grease' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP