terça-feira, 25 de janeiro de 2005

Enfim...

O líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, durante um debate na SicNotícias sobre o aborto, disparou contra o seu opositor a seguinte acusação: “Não me fale de vida, não tem direito a falar de vida. O senhor não sabe o que é gerar uma vida. Não tem a mínima ideia do que isso é. Eu tenho uma filha. Sei o que é o sorriso de uma criança. Sei o que é gerar uma vida”.
Parece-me bem, tem toda a lógica! Por exemplo, uma mulher só terá o direito a falar sobre o aborto depois de ter um filho, porque antes ela não sabe o que é gerar uma vida. Ela primeiro tem o filho, e depois ganha o direito de decidir se aborta ou não, nunca antes. Parece-me óbvio!
E mesmo os homens! Nenhum homem antes de ter um filho sabe dar valor à vida humana. Aliás, é vê-los por aí aos pontapés nos filhos dos outros, e depois quando têm os seus é só abraços e amor porque finalmente sabem o que é gerar uma vida.
Digo mais! Uma pessoa só devia poder votar se tivesse pelo menos sete rebentos, e quem não tivesse no mínimo um filho antes dos 26, merecia ser fuzilado em praça pública por tão falta de respeito à concepção da vida.
Enfim, é cada um melhor que o outro...

2 comentários:

Tunalhos 26/01/2005, 11:02:00  

O raciocínio está correcto: e falar sobre a morte...também ninguém o devia fazer porque nunca passaram por isso...não têm autoridade moral para fazê-lo...aliás as pessoas só deviam falar dos assuntos quando verdadeiramente passam por eles... por exemplo falar da terceira idade... isso devia ser só para os reformados...falar na situação das mulheres...isso devia ser só para homens (que com elas contactam todos os dias...né?)
El Greco

Helder 26/01/2005, 11:36:00  

Hêêê, alguém comentou um Post meu, hêêê!! Que emoção, sinto uma lágrima a querer sair...

  © Blogger template 'Grease' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP