segunda-feira, 27 de agosto de 2007

"Ignorance is bliss"...

Aprendi desde muito cedo que é impossível ganhar uma discussão com uma pessoa ignorante. Ela não argumenta, não raciocina, é uma coisa do outro mundo. Uma discussão com uma pessoa ignorante é qualquer coisa como isso:

Pessoa Ignorante (P.I.)- O céu é verde.

Pessoa Normal (P. N.) - Não, o céu é azul.

P.I. - Não, é verde.

P. N. - Repara, é azul porque quando um fóton de comprimento mais curto encontra uma molécula da atmosfera, ressalta noutra direcção. Os fotões vermelhos, laranjas, amarelos e verdes tendem a conseguir continuar em frente. E cada fotão que ressalta volta a encontrar outras moléculas e pode ressaltar de novo numa outra direcção. E acabam por chegar ao solo da Terra vindos de todo o lado, de direcções aleatórias. Por isso, para qualquer lado que olhemos, vemos fotões azuis.

P.I. - Pois, o céu é verde.

P. N. - Esquece a explicação científica. Basta olhares para o céu e vês que é azul. Olha!

A P.I. olha para o céu e responde. - Pois, é verde…

É um esforço desgastante e infrutífero. Por isso é que nem discuto. Aceno que sim com a cabeça e admito a derrota antes de entrar no ringue. “Sim, o céu é nitidamente verde”.

Este não muito breve intróito serve para que possam perceber o que vem a seguir.

Tenho um vizinho… quer dizer, há um amigo meu que tem um vizinho que é assim meio… não muito brilhante. Como na maior parte das ruas, arranjar lugar para estacionar é uma dor de cabeça. Especialmente mesmo à frente de casa, não é? Ora, este vizinho saiu-se um dia desses com um plano brilhante. Ele olhou para o lugar à frente da sua porta e este estava vazio.

Logo, naquela altura, ele decidiu que aquele lugar nunca haveria de ser ocupado por mais ninguém. Então arranjou um estratagema para o ocupar. Ele de manhã tira o carro para ir trabalhar e, vejam lá o brilhantismo da coisa, mete lá a sua moto o dia todo a reservar o espaço.

À noite, quando volta do trabalho, arruma a moto e tem ali o lugarinho para o carro. Esta situação repetiu-se uns largos dias, até que, já farto, apanhei-o na rua… quer dizer, este meu amigo apanhou-o na rua e disse num tom indignado “Oh vizinho, agora deixa sempre a moto aí?”, ao que ele respondeu prontamente “Porquê, não posso? Está legal!”.

Lá está, o chico-espertismo dos ignorantes é também fascinante. Ele acha que tem a lei do seu lado, acha que foi mais esperto do que nós todos, e agora anda de peito inchado porque ninguém o pode tocar. A ignorância enche uma pessoa de certezas.

E é aqui que volto ao meu intróito. Lembram-se que disse que não entro em discussões com pessoas ignorantes? Pois, é verdade. Mas há vezes que, mesmo sabendo que nunca ganharemos a razão, podemos sempre saborear o doce gosto de uma vitória pessoal.

Resumindo. Este meu amigo foi a casa, tirou a sua moto, e parou-a na rua assim, trancando o volante para que não a pudessem tirar:

O vizinho, que ouve a moto parar ali à frente, aparece à porta e diz “Vais deixar essa moto aí?”, ao que o meu amigo respondeu “Porquê, não posso? Está legal!”.

Moral da história, à noite o vizinho teve de ir parar o seu carro para cascos de rolha. O meu amigo não ganhou a razão aos olhos do vizinho e deixou a moto à chuva, mas naquele dia foi-se deitar com um sorriso estampado na cara…

3 comentários:

Sou eu 28/08/2007, 15:58:00  

O Povinho ignorante, com falta de formação e falta de civismo é mm irritante e desprezível…
O problema é que se uma pax os chama à razão ainda fica sujeita a sofrer ameaças.

Menina do Mar 29/08/2007, 18:25:00  

Isto o melhor é "relax, take it easy"!

Ticha 30/08/2007, 12:37:00  

LLLLLOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLL

:D

Bela cena!!

Tu, quer dizer, o teu amigo, é bem esperto :D

  © Blogger template 'Grease' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP